5 atitudes simples para se livrar do desânimo



Quando você acorda, qual é o sentimento que te acompanha durante o dia? É a vontade de viver, trabalhar, estudar e experimentar coisas novas? Ou será que o desânimo é o principal responsável por guiar as suas atividades diárias?


Nós sabemos que é bastante comum, e até recorrente, nos sentirmos desanimados. Às vezes, o trabalho não está mais sendo uma fonte de prazer, um determinado plano pode não ter dado certo, o dinheiro que acabou antes do fim do mês… Situações normais que todo ser humano vivencia.


Entretanto, é preciso entender se essa sensação não está ultrapassando os limites da normalidade, deixando de ser algo passageiro e tornando-se algo corriqueiro. Afinal, o desânimo pode gerar melancolia e, em alguns casos, depressão profunda.


No post de hoje vamos abordar as questões que envolvem o desânimo e como agir de forma positiva diante de situações desagradáveis, de modo a evitar que você não seja engolido por esse sentimento.


Qual é a causa do desânimo?


Apontar o motivo exato do desânimo não é uma tarefa fácil. Mesmo sabendo que há uma série de razões concretas e que podem ser reconhecidas facilmente - problemas familiares, faculdade, trabalho, questões financeiras, por exemplo -, que surgem ‘’do nada’’.


E esse tipo de desânimo, que não sabemos ao certo quando veio e por qual motivo, normalmente tende a ser o que mais demora a nos deixar. Tentamos buscar inúmeras explicações mas, ainda assim, não conseguimos encontrá-las.


Dessa forma, quando o sentimento de causa desconhecida surge, geralmente nos questionamos sobre o que desencadeou esse mal-estar. Começamos a pensar em possíveis fatores externos, mas esquecemos de ‘’olhar para dentro’’.


Um desânimo repentino e recorrente exige que nos observemos a nós mesmos. Fazer uma auto-observação sobre como e quando nos sentimos desanimados é fundamental para compreendermos a causa desse problema.


Quais são os seus pensamentos recorrentes? Há fantasmas que te assombram? Muitas vezes damos ‘’morada’’ para alguns fantasmas, ideias fantasiosas que ocupam a nossa mente e que, na maioria das vezes, não têm fundamento algum.


Por essa razão, a auto-análise, a auto-observação e o autoconhecimento são essenciais, para que possamos diferenciar nossos pensamentos e tais justificativas.


Como superar o desânimo?


Sabemos que não é nada fácil recuperar o ânimo e enxergar o lado bom das coisas, mas é um processo necessário. A iniciativa para mudar uma situação e transformar a própria realidade é algo individual, que depende unicamente de nós.


Para superar questões complicadas e se livrar do desânimo - mesmo que a causa seja desconhecida - precisamos unir todas as nossas forças e uma boa dose de determinação, a fim de colocar em prática ações que, apenas de simples, podem mudar a nossa vida.


Com o objetivo de te auxiliar neste processo, preparamos uma lista com 5 dicas para você dar adeus ao desânimo e ter uma vida com mais alegria e disposição. Acompanhe!


1. Faça planos de curto, médio e longo prazo


É comum que o desânimo surja de uma total falta de objetivos de vida. Tudo bem, nem todo mundo precisa ter a vida planejada até os 30. Seja no âmbito profissional ou pessoal! Logo, não devemos nos sentir pressionados para alcançar coisas que não queremos.


No entanto, estipular algumas metas e objetivos, ainda que pequenos, pode ser uma ótima iniciativa para eliminar o desânimo e desenvolver a motivação necessária para alcançá-los.


A ideia é que você faça planos de curto, médio e longo prazo. Pode ser cada um deles. Não importa quais são esses planos, o que vale é o estímulo que eles vão proporcionar e gerar mais alegria para a sua rotina.


Você pode se planejar para fazer uma viagem de férias, para passar o carnaval em Salvador, escolher o imóvel que quer comprar ou mesmo pensar em trocar de carro. Faça planos possíveis (e não foque nos desafios de realizá-los).


2. Se alimente corretamente e durma bem


Comer corretamente e dormir bem são elementos fundamentais para eliminar o desânimo. Para isso, é preciso ingerir alimentos naturais para manter o bom funcionamento do organismo. Afinal, o desequilíbrio provocado pela má alimentação prejudica não só a saúde física, como a mental.


Quando nos alimentamos mal, ingerindo muito açúcar e inúmeros produtos industrializados, esse hábito afeta a produção de hormônios e neurotransmissores como serotonina, dopamina, endorfina e oxitocina, também conhecidos como ''hormônios da felicidade’’.


Tais hormônios são responsáveis pelas sensações relacionadas ao bem-estar e, quando unidos ao sono adequado, é possível que o indivíduo descanse e relaxe de tudo que o causa estresse e suga a sua energia.


3. Dê presentes a si mesmo


Você faz parte daquele grupo de pessoas que adora um mimo? Se sim, que tal presentear a si mesmo uma vez ou outra?

Mas calma, de forma alguma estamos incentivando o consumismo desenfreado, viu? No entanto, se você está se sentindo muito desanimado, pode lhe fazer bem ir ao shopping e comprar uma roupa nova, ou mesmo sair para conhecer um restaurante novo.


E quem sabe, se você puder, marcar uma massagem relaxante, limpeza de pele… Algum tratamento estético pode aumentar a sua autoestima. Sem sombra de dúvidas, um pequeno passo de autocuidado pode contribuir para a eliminação do desânimo!


4. Não mantenha relacionamentos tóxicos


Outra dica para se livrar do desânimo é eliminar relacionamentos tóxicos. Afinal, se tem uma coisa capaz de desanimar alguém são pessoas abusivas que, mesmo sem perceber, nos recheiam de sentimentos negativos. E todos nós sabemos que relacionamentos influenciam a nossa vida e, principalmente, o nosso bem-estar.


Portanto, busque observar uma relação tóxica - vale lembrar que nem todos os relacionamentos se resumem ao laço amoroso. Uma vez que percebemos que uma pessoa não contribui para o nosso crescimento pessoal, temos a chance de mudar essa situação.


5. Invista em autoconhecimento


Conhecer mais sobre si mesmo é fundamental para vencer o desânimo. Como falamos logo no início do conteúdo, para identificar esse sentimento é necessário praticar a auto-observação.


Por essa razão, buscar se conhecer e se reconhecer perante os mais diversos fatos e situações pode ser a saída mais eficiente para superar um momento desanimador, bem como uma fase ruim.


Para isso, contar com a ajuda de um psicólogo ou terapeuta é essencial, uma vez que a terapia contribuir para esse processo de busca de origem de questões e problemas, além de tratar traumas e experiências passadas.




16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo