8 passos para desenvolver a inteligência emocional no trabalho



Hoje muito se fala a respeito da inteligência emocional (IE) na vida cotidiana. Mas você sabia que ela também se aplica ao ambiente de trabalho? Embora muita gente conheça o termo, nem todo mundo sabe como ter inteligência emocional no universo corporativo.


Isso acontece justamente porque a disseminação da inteligência emocional no trabalho não aconteceu há muito tempo. O termo foi utilizado pela primeira vez em 1966, em documentos do americano Hanskare Leuner.


No entanto, o conceito só ganhou relevância após a publicação do livro ‘’Inteligência Emocional’’ (1986), do escritor e psicólogo Daniel Goleman. O autor abordou o embate entre o QE e o QI nessa primeira obra. Com isso, a inteligência emocional conquistou seu espaço nas pesquisas, tornando-se acessível à sociedade.


Com a polarização do termo, o QI alto ou anos de experiência em uma determinada área não são mais critérios tão avaliados pelo departamento de Recursos Humanos. Agora, o profissional precisa saber como gerenciar suas emoções, a fim de se tornar bem-sucedido.


Neste artigo, abordaremos sobre o que é inteligência emocional, qual a sua importância e como desenvolvê-la de maneira assertiva e saudável no ambiente de trabalho. Confira!


Mas, afinal, o que é inteligência emocional?


Tradicionalmente conhecida por meio do livro de Daniel Goleman, a inteligência emocional é uma habilidade voltada para a capacidade que um indivíduo tem de identificar e controlar seus sentimentos, bem como lidar com as emoções daqueles que estão à sua volta.


Para facilitar a compreensão da IE, Goleman classifica a inteligência emocional em 5 competências fundamentais. São elas:


  • Autoconhecimento: habilidade de reconhecer as próprias emoções e sentimentos quando eles acontecem;

  • Automotivação: conduzir os próprios sentimentos e emoções, de modo a alcançar um objetivo e obter mais motivação;

  • Controle emocional: saber lidar com as próprias emoções e adequá-las às situações cotidianas;

  • Relacionamentos interpessoais: saber conviver com outras pessoas de forma harmoniosa a partir de competências sociais;

  • Reconhecimento das emoções de outras pessoas: reconhecer as emoções de outras pessoas e saber se colocar no lugar delas.


Ou seja, a inteligência emocional é um conjunto de outras competências que compõem a saúde mental e emocional de um indivíduo, sendo cada uma delas fundamental para o desenvolvimento social, espiritual e sentimental das pessoas em geral.


Qual a importância da inteligência emocional no trabalho?


Pensando no ambiente de trabalho, a inteligência emocional é uma habilidade extremamente necessária quando falamos da comunicação entre os colegas. Ela é capaz de facilitar a resolução de conflitos, a liderança e a construção de relações interpessoais, influenciando no desempenho das equipes.


Não precisamos nem ressaltar que todas essas competências trazem inúmeros benefícios a empresa, principalmente em relação a resultados, certo? Além disso, a IE melhora o clima organizacional, tornando o ambiente harmonioso para a execução das tarefas diárias.


Com um clima organizacional saudável e harmonioso, os efeitos positivos surgem imediatamente: aumento da qualidade de vida no trabalho, a busca constante por bons resultados, a produtividade, entre muitas outras vantagens.


Resumidamente, os impactos positivos ocorrem pois o ambiente de trabalho é um espaço de muitos sentimentos e emoções. Seja alegria, entusiasmo, medo, frustração ou raiva. Assim, o mau gerenciamento dessas emoções pode afetar o desempenho do time.


Lutar contra as emoções, culpar os demais pelos seus próprios erros ou até responsabilizá-los por seus sentimentos pessoais, são comportamentos negativos que podem, sim, influenciar negativamente a comunicação entre as equipes.


Como desenvolver a inteligência emocional no trabalho?


A pergunta que não quer calar: afinal, como desenvolver a inteligência emocional no trabalho? Para auxiliar nesse processo, preparamos 8 passos essenciais para que você possa colocar a IE em prática o quanto antes. Continue lendo!


1. Saiba gerenciar emoções negativas


Um dos maiores desafios para quem busca alcançar a IE no trabalho é aprender a lidar com emoções negativas. Afinal, é muito fácil ser levado por elas.


No entanto, a partir do momento que você entende como contorná-las, o espaço profissional passa a ser mais harmônico e, por consequência, menos sobrecarregado.


Quando uma situação ou alguém lhe incomodar, evite tirar conclusões precipitadas e focar suas energias no lado ruim. Foque suas forças em observar o que está acontecendo sob diferentes perspectivas. Não fique remoendo, busque a solução!


Uma dica bem interessante para não filtrar situações ruins é praticar mindfulness no trabalho, que nada mais é que focar 100% em suas atividades. Isso pode contribuir para que você não se distraia com comentários ou pessoas negativas.


2. Tenha uma comunicação clara


Pessoas emocionalmente inteligentes focam seus esforços em se tornarem boas comunicadoras no ambiente de trabalho. Elas não precisam utilizar uma comunicação agressiva e conseguem expor suas opiniões sem desrespeitar o próximo.


Vamos imaginar a seguinte situação: você teve uma péssima reunião com o seu chefe e não conseguiu manifestar suas ideias. Tire um tempo e reflita sobre o que provocou isso e como você pode trabalhar para que os mesmos problemas não se repitam.


Uma vez que você consegue identificar o que não está ocorrendo bem, você conseguirá resolver conflitos de maneira assertiva e inteligente.


Lembre-se que ser um bom comunicador em momentos tensos é fundamental para não deixar as emoções te dominarem e para conduzir conversas profissionais que exigem calma e paciência - e isso vale para ambas as partes.


3. Seja empático


Colocar-se no lugar do outro é essencial em todos os âmbitos da nossa vida. Portanto, pratique a empatia para entender como o outro se sente em variadas situações.


Para ser uma pessoa mais empática no ambiente de trabalho, o ideal é prestar atenção nos sinais verbais e não-verbais que seus colegas de trabalho apresentam, a fim de identificar o que eles possam estar sentindo.


Antes de julgar ou atacar o seu colega, tente se colocar na posição daquele indivíduo e pense em como você se sentiria naquela situação. Não se esqueça que cada pessoa enfrenta dores e desafios dos quais você nem imagina. Portanto, seja empático!


4. Identifique seus fatores de estresse


Você já parou para pensar sobre o que realmente te estressa no trabalho? São as reuniões longas demais? A caixa de e-mail lotada todos os dias? Quando você identifica os fatores que lhe deixam estressado, fica mais fácil lidar com essas adversidades.


Se responder inúmeros e-mails por dia acaba com sua saúde mental, que tal escolher um único horário para enfrentar a sua caixa de e-mail? Talvez logo no início do dia ou no final do expediente, quando você quer apenas realizar tarefas operacionais.


Além disso, é de suma importância mudar a forma em que você enxerga tarefas estressantes e monótonas. Não deixe que elas lhe causem estresse ou dominem a sua mente. Prepare-se mentalmente para cada uma delas.


5. Encontre um meio para se recuperar das adversidades


Não tem como negar: todos nós enfrentamos desafios diários. Como você lida com as adversidades durante o caminho é que vai determinar se você será um profissional bem-sucedido ou não.


Pensando nas competências listadas por Daniel Goleman, a automotivação é um fator essencial para que você não desista logo na primeira frustração. Aqui, indicamos que você pratique o otimismo, evitando pensamentos pessimistas e reclamações.


Outro ponto fundamental é deixar de lado o otimismo, ou seja, aquele velho hábito de se colocar em uma posição vitimista o tempo todo. Muito pelo contrário: encontre os seus pontos fortes e vá à luta!


Para que você se recupere das adversidades presentes no ambiente de trabalho, tente encontrar um hobbie. Você pode praticar esportes, ir a uma sessão de massagem, fazer um curso de culinária, meditar, entre muitas outras opções.


6. Evite reagir durante conflitos


É comum reagir de maneira explosiva durante um conflito, deixando a raiva e a tristeza falarem por nós. Para evitar essa possível realidade no ambiente de trabalho, procure manter a calma quando se deparar com momentos estressantes.


O ideal é que você não fale e não aja impulsivamente, optando sempre por deixar as emoções se acalmarem antes de tomar qualquer decisão.


Pessoas com inteligência emocional são capazes de manter a calma durante conflitos, além de terem a certeza de que momentos estressantes não são ideias para manifestar suas emoções negativas, uma vez que a calma evita que o evento tome proporções maiores.


7. Treine habilidades de escuta ativa


Quando houver conversas importantes - ou não - no trabalho, procure ouvir com atenção antes de responder. É fundamental compreender o que o outro está tentando dizer antes de colocar a sua opinião como ponto de partida da conversa.


Além do mais, tente se manter atento aos detalhes não-verbais, pois eles podem representar muito mais do que as falas. Uma boa com um alto nível de inteligência emocional consegue ouvir o outro adequadamente e identifica a hora certa de falar.


8. Aprenda a receber críticas


Por fim, é impossível falar sobre como desenvolver a inteligência emocional no trabalho sem mencionar a importância de saber receber críticas. É essencial não levar nada para o lado pessoal, se sentir ofendido ou agir de maneira agressiva.


O ideal é que você separe um período do seu dia para entender de onde vem a crítica, os motivos pelos quais ela foi feita e como ela afeta você e as pessoas ao seu redor.


Disponibilize a terapia como um benefício corporativo


Organizações que zelam pelo bem-estar e pela qualidade de vida de seus colaboradores investem em saúde mental.


Ao oferecer terapia aos funcionários, automaticamente a empresa está investindo no desenvolvimento da inteligência emocional de cada representante de seu time corporativo. E os colaboradores com alto nível de inteligência emocional têm um desempenho melhor.


Se você ficou interessado em oferecer psicoterapia ao quadro de funcionários e melhorar o bem-estar de cada um deles, entre em contato agora mesmo com a Lapidando Mentes!


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo