Ansiedade tem cura? Tudo o que você precisa saber


Muito se tem falado acerca dos transtornos psíquicos nos dias atuais. Embora conceitos como ‘’depressão e ‘’ansiedade’’ tenham sido considerados tabus durante anos, as doenças mentais têm sido temáticas muito debatidas entre profissionais e rodas de conversas.


Diante disso, é impossível falar sobre doenças psíquicas e não mencionar o transtorno que mais cresce entre os países: a ansiedade. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com a maior taxa de pessoas com ansiedade no mundo.


Os dados divulgados pela OMS apontam que 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade, o que equivale a 18,6 milhões de pessoas. Vale mencionar ainda que 264 milhões de indivíduos sofrem com esse tipo de doença no mundo.


Por essa razão, a grande maioria das pessoas que conhece a doença ou mesmo a parcela de população que precisa lidar com ela faz o seguinte questionamento: o transtorno de ansiedade, de fato, tem cura?


E se você se enquadra em alguns dos cenários mencionados acima, este post é ideal para você! Separamos algumas dicas importantes para que você não sabote a sua vida e saiba lidar melhor com a ansiedade. Confira!


Ansiedade tem cura?


Antes de mais nada, é necessário esclarecer dois pontos importantes: a ansiedade de cunho crônico, de origem genética, como o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), de fato, não tem cura.


Em contrapartida, o estado de ansiedade, sim. Afinal, trata-se de um momento passageiro e que desencadeia funções muito restritas no nosso organismo, tais como a cautela e a motivação para agir sem pensar. Assim que cumpre o seu papel, a ansiedade desaparece.


Entretanto, existe a possibilidade de lidar com a ansiedade crônica mediante a tratamento, uma vez que só assim é possível minimizar os excessos e reduzir o surgimento de situações que geram sofrimento.


Ao compreender os sintomas e avaliar como eles se manifestam, você consegue elaborar estratégias para contornar os efeitos da ansiedade e aplicar ações para equilibrar o seu estado físico e emocional.


Pensando nisso, confira, a seguir, 4 informações necessárias para que você entenda como o transtorno de ansiedade funciona e saiba como lidar com ele:


1. A ansiedade deve ser tratada


Muito provavelmente você já deve ter ouvido que a pessoa com ansiedade precisa contar com o auxílio de profissionais, certo? Afinal, sem um tratamento adequado, o transtorno pode desencadear outras doenças, como a depressão, por exemplo.


Além do mais, é importante ressaltar que sem acompanhamento psicológico frequente, é quase impossível ter uma boa qualidade de vida. Mas lembre-se que o tratamento vai depender do estado clínico de cada indivíduo.


O transtorno de ansiedade pode ser tratado com o auxílio da terapia. Há uma série de métodos especializados que visam diminuir os efeitos, sintomas, prevenir a doença e desenvolver melhorias para que a pessoa consiga levar uma vida mais feliz.


2. Os sintomas variam de pessoa para pessoa


A ansiedade pode apresentar uma variedade de sintomas psicológicos (medo, apreensão, preocupação em excesso, insônia, irritabilidade, agitação e pensamentos descontrolados).


Além disso, também há o desenvolvimento de sintomas físicos (náusea, boca seca, dor de barriga, tremores, dor no peito, respiração ofegante, tensão muscular, enxaqueca, fadiga, e por aí vai).


O fato é que cada um sente estes sintomas de formas diferentes. Para algumas pessoas, a manifestação da ansiedade pode envolver acessos de raiva e distúrbios de sono; enquanto para outras, os efeitos podem ser apenas físicos.


Para que você consiga identificar quais são os sintomas comuns em sua rotina, é preciso ficar atento às suas emoções e pensamentos ao longo do dia, principalmente diante de situações que costumam causar estresse.


Dessa forma, você saberá como controlar suas emoções e, por consequência, irá desenvolver técnicas que irão lhe ajudar a lidar com a sua ansiedade.


3. Há inúmeros tipos de ansiedade


Embora muita gente não saiba, existem uma série de variações quando falamos do transtorno de ansiedade. A manifestação dele está relacionada à personalidade e ao histórico de cada paciente diagnosticado.


Nesse sentido, há pessoas que estão sujeitas a desenvolver determinados transtornos por conta de experiências passadas, traumas, pré-disposição genética ou apenas pontos da personalidade que acabam, inconscientemente, nutrindo alguns sintomas.


As variações incluem o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT), o Transtorno Obsessivo-Compulsivo, a Agorafobia, a Fobia Social, a Síndrome do Pânico, entre outros.


E de novo a terapia se mostra uma ferramenta de extrema importância. Neste caso, para identificar possíveis sinais que levam a ansiedade, ou mesmo para o tratamento de transtornos.


4. Lidar com a ansiedade deve ser rotineiro


Sabe-se que muita gente busca lidar com a ansiedade. E se você é uma destas pessoas, muito provavelmente já tentou aplicar técnicas e estratégias que possivelmente poderiam minimizar a sua, não é mesmo?


O primeiro passo é buscar por tratamento psicológico. Afinal, só assim você encontrará formas eficientes para lidar com a sua ansiedade, entender suas emoções e estudar a sua personalidade e história.


Porém, para realmente cuidar da sua saúde mental, não basta apenas fazer terapia uma vez por semana. É necessário estar aberto a fazer mudanças em todos os aspectos da sua vida, desde o cultivo de laços de amizade até a prática de exercícios físicos.


Com isso, você reduz os efeitos que os transtornos psíquicos têm sobre você e consegue administrar os sintomas de ansiedade mais facilmente, preparando-se antecipadamente para situações que podem gerar gatilhos.


Conclusão


Por fim, a ansiedade é um transtorno que, embora não tenha cura, pode ser monitorada e deve ser tratada. Lembre-se que é possível, sim, diminuir os efeitos das doenças psíquicas mediante a tratamentos adequados.


Se nem todas as perguntas sobre como lidar com a ansiedade foram respondidas, saiba que a Lapidando Mentes está aqui para auxiliar!

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo