Cansaço feminino: por que não é um simples cansaço?



Você já se perguntou o que deixa as mulheres cansadas em nossa sociedade? Não estamos nos referindo a um simples cansaço de curta duração, mas a uma sobrecarga mental que pode se tornar muito preocupante.


Embora já exista uma divisão de tarefas em muitos lares, nem sempre parece ser suficiente. Neste artigo, você poderá entender um pouco mais sobre este contexto, suas consequências e como lidar com essa carga mental feminina. Continue a leitura!


Quais são as causas do cansaço feminino?


Filha, mãe, esposa, namorada, empresária, funcionária... São muitos os papéis que uma mulher pode preencher em sua vida. Elas ainda sofrem de sobrecarga mental mesmo buscando uma rotina baseada na igualdade de gênero todos os dias, e precisamos conversar sobre isso.


Em primeiro lugar, não podemos subestimar o quanto as mulheres se sentem cansadas. Uma soneca à tarde ou um dia de folga nem sempre melhora as coisas, certo? Essa é mais uma questão que deve ser dita.


A necessidade de se provar no ambiente de trabalho


A igualdade de gênero no ambiente corporativo é uma luta diária. As mulheres ainda sofrem com todo tipo de preconceito e abuso. O que prova a desigualdade é a diferença gritante de mulheres em cargos de lideranças nas empresas.


Além disso, em tempos de crise como a pandemia do Covid-19, muitas delas acabam deixando seus negócios de lado e focando nas responsabilidades familiares. Segundo o Sebrae, o Brasil perdeu 1,3 milhão de mulheres empreendedoras entre 2019 e 2020 (a pandemia exige que as mulheres façam mais tarefas domésticas, e elas têm que abandonar seus planos de negócios).


Todo o contexto torna mais desgastante para as mulheres entrar e crescer no mercado de trabalho. É claro que todos encontrarão algumas dificuldades na realidade, mas, em geral, as mulheres enfrentam injustiças e desigualdades, o que os faz duvidar de suas habilidades e precisam se provar suficientemente boas o tempo todo.


Dividir as tarefas domésticas não é suficiente


Em casa, é preciso entender a diferença entre realizar e planejar as tarefas. Enquanto muitos homens já compartilham responsabilidades do dia a dia, como ir ao supermercado, arrumar a cama ou a casa, na maioria dos casos as mulheres assumem o planejamento sozinhas.


Normalmente, elas são responsáveis ​​por programar, planejar e antecipar problemas para garantir a manutenção da rotina. As mulheres dirigem a casa, ou seja, a decisão cabe a elas, e quando os moradores da moradia precisam de algo, geralmente recorrem a ela.


De certa forma, ela começa a desempenhar o papel de antecipar as necessidades de conforto, segurança e presença da outra pessoa. Tudo isso cria uma enorme sobrecarga emocional, como se ela precisasse estar sempre atenta a tudo, estar de plantão e garantir a harmonia.


Quais são as consequência do cansaço mental?


A sobrecarga mental que as mulheres vivenciam traz sérias consequências para sua saúde mental. Entre os principais sintomas que sinalizam que algo não vai bem, podemos citar:

  • piora na qualidade do sono;

  • dificuldade de concentração;

  • dores no corpo;

  • irritabilidade;

  • dificuldade para desligar a mente;

  • cansaço;

  • ansiedade.

Em alguns casos, uma mulher cansada pode desenvolver um transtorno mental que afeta sua qualidade de vida. Pesquisas dizem que a depressão e a ansiedade, por exemplo, afetam as mulheres duas vezes mais do que os homens.


Claro que esse não é o único fator, afinal existem outros problemas que podem afetar o desenvolvimento da doença mental, mas é importante levar em consideração a sobrecarga mental que a mulher carrega ao longo de toda a sua vida.


Como lidar com a sobrecarga mental?


Lidar com a sobrecarga mental no dia a dia não é uma tarefa fácil, mas é possível mudar, mesmo que de forma gradual, algo que interfere muito no peso e na desigualdade das responsabilidades cotidianas. Veja algumas dicas:


1. Atente-se aos sinais


Muitas mulheres queixam-se de cansaço permanente sem perceber que há sinais de que as coisas não vão bem. Observe se você tem problemas de concentração ou se acorda exausta. Conhecer a mente e o corpo é fundamental para ficar de olho nas mudanças que podem sinalizar problemas mais sérios.


2. Medite


Técnicas de meditação e atenção plena também são uma maneira de relaxar. Muitas pessoas têm dificuldade em desenvolver esse hábito, então procure a meditação guiada e gaste apenas alguns minutos por dia. Os benefícios são sentidos a longo prazo, incluindo a redução da ansiedade e do estresse.


3. Pratique exercícios físicos


Ao se exercitar regularmente, você se sentirá melhor porque seus níveis de ansiedade e estresse diminuirão e sua energia aumentará. Manter-se em forma é fundamental para manter uma boa qualidade de vida, regular o sono e se sentir mais disposta e bem-humorada.


4. Faça terapia


Não esqueça que a terapia pode ser uma grande aliada na sua luta contra a sobrecarga mental. Um acompanhamento com um psicólogo é ideal para aumentar sua autoconsciência, entender padrões de comportamento e desenvolver estratégias de enfrentamento para fadiga extrema.


Além disso, imagine que uma sessão com um terapeuta se tornará seu momento semanal em que você poderá falar brevemente sobre seus sentimentos e se conhecer melhor.


5. Aprenda a dizer ‘’não’’


Isso vale para a vida pessoal e profissional. Muitas mulheres acham difícil dizer não, o que gera muito estresse na vida cotidiana. Você precisa conhecer seus limites para saber quando alcançá-los e quando diminuir suas responsabilidades.


Não normalize o cansaço mental


Se você é mulher e está sempre cansada, não acredite que é normal. Lembre-se de que sentir-se exausto o tempo todo significa que as coisas não estão indo bem, então procure ajuda e busque aprofundar sua autoconsciência para entender a causa específica do problema.


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo