Como conviver com um ansioso: 5 dicas para diminuir a ansiedade




Lidar com a ansiedade é um enorme desafio, visto que ela provoca uma sensação de descontrole emocional que, em sua maioria, antecipa situações que trazem sofrimento para o indivíduo. Além disso, devido a sua complexidade e difícil análise, torna-se difícil compreender os estímulos e gatilhos apresentados pela pessoa ansiosa.


Dessa forma, é importante entender que há diversos tipos de ansiedade, abrangendo aquela mais branda que gera expectativas no indivíduo, até transtornos mais complexos de serem caracterizados. Por isso, é fundamental atentar-se a todos os sinais da doença.


O fato é que o ansioso pode apresentar uma série de sinais difíceis de serem percebidos por quem convive com ele. Uma pessoa ansiosa desenvolve sensações de incerteza, medo e angústia, alimentando um padrão de pensamento que só espera pelo pior.


Durante estes momentos, de nada adianta investir em frases otimistas ou dizer que ‘’tudo vai passar’’. Menos ainda, diminuir a gravidade da situação, pois você não entende ou percebe a dimensão do que o outro está sentindo. Lembre-se que uma palavra faz a diferença desde que seja reconfortante e empática.


Sabendo da importância de lidar com uma pessoa ansiosa de maneira coerente, preparamos um conteúdo completo para que você entenda como lidar com um ansioso. Neste post, você verá os seguintes tópicos:


  • Quais são as causas da ansiedade?

  • Quais são os sinais da ansiedade?

  • 5 dicas para conviver com uma pessoa ansiosa.

Mas, afinal, quais são as causas da ansiedade?


Embora a ansiedade tenha conquistado popularidade nas últimas décadas, ainda é muito difícil dizer, com precisão, o que pode desenvolver esse estado psíquico. Alguns estudos apontam hoje, por exemplo, como o cérebro se comporta perante um ataque de pânico.


Porém, falar sobre o que leva o indivíduo a um estado ansioso é um pouco mais desafiador, visto que a ansiedade envolve não só o emocional da pessoa em questão, como também a trajetória de vida da mesma. Por essa razão, cada caso é avaliado de forma individual.


Sendo assim, é importante ressaltar que o transtorno de ansiedade envolve inúmeras questões, tais como fatores genéticos, experiências e situações atuais. O ansioso pode, inclusive, desenvolver a ansiedade após passar por traumas significativos em sua vida.


Além do mais, quem se expõe a momentos mais pesados, como trabalhos estressantes ou mesmo relacionamentos abusivos, também está suscetível à doença. Vale destacar ainda que doenças físicas podem desencadear a doença. É o caso dos problemas cardiovasculares, hipertireoidismo, problemas respiratórios e dores crônicas.


Quais são os sinais da ansiedade?


Assim como qualquer outra doença, identificar os sinais da ansiedade não é uma tarefa simples. Entretanto, há sintomas que estão completamente relacionados ao transtorno e podem ser facilmente compreendidos. São eles:

  • Enxergar perigo em todas as situações;

  • Apetite desregulado;

  • Mudanças repentinas de comportamento;

  • Alterações de sono;

  • Medo de falar em público;

  • Tensão muscular;

  • Medos irracionais;

  • Sintomas físicos;

  • Inquietação constante;

  • Problemas digestivos.

5 dicas para conviver com uma pessoa ansiosa


Antes de mais nada, é importante mencionar que uma ajuda equivocada pode agravar ainda mais o estado emocional e psicológico da pessoa ansiosa, causando mais dor e sofrimento para o indivíduo.


Diante disso, é essencial saber a melhor maneira de agir durante uma crise de ansiedade de um indivíduo que conviva com você. Então, confira a seguir como oferecer apoio na medida certa:


1. Não seja otimista


Nós sabemos que a intenção é boa, mas ser otimista pode acabar intensificando o quadro da pessoa ansiosa. Portanto, nada de dizer frases como ‘’vai passar’’ ou ‘’vai dar tudo certo’’. Isso vai ser irritante para o ansioso, pois ele acreditará que você está diminuindo a sua dor.


Em uma situação de crise é difícil enxergar o lado bom das coisas, uma vez que tudo parece triste ou impossível. Assim, comece abandonando o otimismo e ofereça outro tipo de apoio.


2. Não seja durão


Outro ponto que não deve ser negligenciado é bancar o durão para fazer o outro reagir de forma positiva. Definitivamente, tenha em mente que isso não vai funcionar. Lembre-se que é fundamental demonstrar apoio, e não pressionar.


Além do otimismo, frases como ‘’você é forte’’ ou ‘’você precisa superar’’ também não vão contribuir positivamente para o estado da pessoa ansiosa. Inclusive, esse tipo de ação pode gerar um impacto negativo no emocional e no quadro psíquico do indivíduo.


3. Mostre-se aberto para ouvir


É comum que o ansioso queira desabafar e relatar o que está sentindo ou enfrentando. Portanto, ouça-o! Nesta etapa, evite julgamentos ou avaliações para não causar desmotivação e fazer com que ele desista de compartilhar sentimentos com você.


Por outro lado, também não é válido forçar um diálogo com estímulos do tipo ‘’me conta o que está acontecendo’’ ou ‘’me diga para que eu possa lhe ajudar’’. Mais do que saber ouvir, é importante respeitar o tempo e o espaço da pessoa!


4. Seja sincero ao demonstrar preocupação


Mesmo que você não consiga dimensionar o tamanho da crise, a comunicação deve ser prazerosa e, principalmente, afetuosa. Vale apostar em ‘’eu entendo você, estou aqui e vamos esperar que isso passe, juntos!’’.


É importante ressaltar que uma crise de ansiedade dura, em média, 25 minutos, portanto fique ao lado da pessoa e seja empático. Contudo, evite preocupação excessiva para não afetar ainda mais o estado emocional do ansioso.


5. Tente distraí-lo com boas lembranças


Por último, e não menos importante, uma boa saída para animar a pessoa ansiosa é tentar distraí-la com boas lembranças, falando sobre algo engraçado ou coisas boas que já aconteceram ou que vão acontecer, como uma viagem, por exemplo.


Entretanto, tente distraí-lo com muita atenção para não minimizar a dor do outro ou dar a impressão que você não se importa com a crise. Com sensibilidade é possível notar se dá ou não para utilizar a estratégia. O ansioso vai demonstrar receptividade ou não. Caso ele não goste, pare.


E você, convive com uma pessoa ansiosa? Se sim, quais métodos utiliza para acalmá-la durante as crises? Deixe um comentário e compartilhe sua experiência conosco!


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo