Como ‘’escolher’’ o parceiro certo para ter um relacionamento?



O ditado popular diz que não escolhemos por quem nos apaixonamos, mas essa afirmação não está correta. Pessoas adultas escolhem ou pelo menos deveriam escolher, sim, com quem vão se relacionar. Afinal, a vida já é rodeada de problemas, então, um parceiro não deve ser a somatória de mais questões complicadas.


Dessa forma, um parceiro deve ser a pessoa com a qual você compartilhará sonhos, planos e suas expectativas em relação ao futuro; Ele deve dividir não só momentos bons, mas também períodos de angústia, tristeza e aflição.


O medo de ficar sozinho é o principal combustível para que as pessoas acabem vivenciando relacionamentos tóxicos ou mesmo idealizando um amor de contos de fada, que bem sabemos que a realidade não é como nos filmes.


O que a psicologia diz?


De acordo com a psicologia, quanto mais parecido você for com o seu parceiro, maiores são as chances de se construir um relacionamento a longo prazo. Neste caso, o ‘’parecido’’ está relacionado com valores, propósitos de vida e ideais.


Uma relação construída com base em muitas diferenças e a partir daquela sensação de ‘’borboletas no estômago'' não vai muito longe. Afinal de contas, amor é calmaria, é paz, é a ideia de que é possível ser você mesmo sem julgamentos ou limitações.


É importante que saibamos escolher um amor que nos deixe livres para continuar sendo o que somos. É preciso, também, dar adeus a aquele conceito que diz que o amor tem de ser algo que nos complete. Você já é inteiro. Amor é querer, é companheirismo, é confiança, é amizade e clareza. Lembre-se disso!


5 perguntas a se fazer ao escolher um parceiro


Escolher um parceiro para compartilhar momentos e até mesmo a vida não é uma tarefa fácil. Por isso, listamos as 5 principais perguntas que você deve fazer a si mesmo sobre a possível pessoa para facilitar essa escolha. Confira!


1. Quais são os ideais do parceiro?


Sem sombra de dúvidas, um dos principais fatores a ser analisado antes de começar um relacionamento são os ideais do possível parceiro. Se você é católico, por exemplo, e seu parceiro é ateu, talvez tenham problemas acerca do assunto em algum dado momento.


Por essas e outras razões, é fundamental conversar com seu parceiro e identificar se vocês têm os mesmos ideais de vida e concordam parcialmente com as mesmas coisas.


Outro exemplo bem simples é você não pensar em ter um filho e seu parceiro demonstra muita vontade em ser pai ou mãe. Com isso, vocês podem acabar tendo inúmeras discussões e, certamente, tais conflitos de ideais podem desencadear a separação.


Portanto, se tiverem propósitos de vida similares e caráter semelhante, é mais provável que construam uma relação livre de discussões e intrigas.


2. Quais são os sonhos de vida dele?


Dificilmente você terá uma relação forte e saudável com alguém que não compartilhe dos mesmo sonhos e objetivos que você. Imagine que o sonho do seu parceiro seja conhecer o mundo e o seu é ter filhos e moradia fixa, ou seja, sem muitas aventuras?


Na dúvida, a melhor opção é escolher um parceiro que queira as mesmas coisas que você, principalmente os mesmos objetivos futuros. Deste modo, você não obrigará o outro a viver momentos que não quer, e assim vice-versa.


Uma vez que você namora alguém que tem os mesmos interesses e sonhos, permite-se viver tudo isso em companhia.


3. Do que ele gosta?


Entender o que seu parceiro gosta e comparar isso com o seu gosto pode poupar discussões e dores de cabeça futuras. Se você gosta de pagode e ele de rock, qual a chance de irem a um show juntos?


Claro, não estamos dizendo que é impossível conciliar gostos diferentes, mas sim que se eles forem parecidos, torna-se mais fácil construir um relacionamento saudável.


4. Onde ele mora?


Saber a região que seu futuro parceiro mora é importante para facilitar a decisão. Há quem goste de namorar a distância e se sinta confortável desta forma, mas há também quem acredite que relacionamentos à distância não dão certo. Se este for o seu caso, opte por alguém que more mais perto para facilitar os encontros.


5. Ele é atraente para você?


Por último, vale ressaltar que a atração é uma questão essencial para grande parte das pessoas. O importante, nesse sentido, é identificar se essa pessoa realmente te atrai sem considerar os padrões de beleza impostos hoje em dia.


Sentir atração por seu parceiro é um requisito básico para manter a chama acesa, afinal, namoros em que ambas as partes têm apenas o elo emocional, e não o físico, acabam se tornando apenas amizade.


De todo modo, ainda que o parceiro atenda todos os fatos citados acima e não mexa com o seu coração, certamente não deverá ser escolhido. Então, apenas se termos alguns critérios para escolher o parceiro ideal, não mandamos no coração.


Atente-se aos sinais


Independentemente dos requisitos destacados anteriormente, existem fatores consistentes que costumam se repetir no momento de escolher um parceiro. São eles:

  • valorizamos pessoas que são semelhantes a nós;

  • valorizamos a atratividade física e o status;

  • buscamos pessoas que moram ou trabalham por perto;

  • as mulheres tendem a ter padrões mais altos que os homens;

  • os homens tendem a preferir mulheres da sua idade até cinco anos mais jovens, enquanto as mulheres tendem a preferir homens da sua idade até cinco anos mais velhos.

É importante citar que estas são tendências baseadas em estudos com grandes grupos de pessoas e não correspondem necessariamente à individualidade de cada pessoa.


Tenha em mente que este não é um manual fechado sobre como escolher um parceiro. Este conteúdo serve para refletir sobre suas escolhas com relação a companheiros adequados.


Inclusive, se você tem vontade de saber mais a respeito do assunto, preparamos um conteúdo exclusivo no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=hrviwygLlfQ&list=PLY0nZf8zY66T2U59ZPKd-qkTe4sfaB03n&index=19

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo