Indecisão: 6 dicas essenciais para deixar de ser indeciso



Você se considera uma pessoa indecisa? Já passou longos períodos decidindo entre duas ou mais opções, mesmo que tais decisões não fossem tão importantes? É possível que você tenha até desistido de tomar uma decisão por considerar os prós e os contras muito complexos.


Se este for o seu caso, é importante citar que a indecisão nada mais é que a falta de confiança em si próprio. Talvez você tenha desenvolvido a insegurança após um acontecimento traumático ou tornado-a um hábito ao longo da vida.


Independente da razão, é fundamental trabalhar a indecisão para se livrar do estresse gerado pela insegurança e, claro, pela dificuldade em tomar boas decisões. Por isso, abordaremos os seguintes assuntos no post de hoje:

  • Como a pessoa indecisa se comporta?;

  • A psicologia por trás da indecisão;

  • 6 dicas para ser menos indeciso.

Como a pessoa indecisa se comporta?


Em casos extremos, a indecisão pode levar à frustração e impotência. Cada demora em tomar uma decisão aprofunda a suspeita de que você não pode cuidar de seus próprios assuntos. Mesmo as pequenas coisas, como escolher entre itens em uma loja ou jantar em um aplicativo de entrega, exigem muito tempo e esforço.


Comparar-se com pessoas decididas também pode virar regra. Embora seja muito desagradável, você não consegue parar de pensar em por que é fácil para algumas pessoas, mas difícil para você.


Além disso, cada nova necessidade de fazer uma escolha causa ansiedade. Mesmo depois de escolher uma opção, você ainda sente a necessidade de rever as alternativas e mudar de ideia. E se você não tiver escolha? E se houver outra maneira de fazer as coisas e você escolher a maneira errada? Esses são comportamentos típicos de pessoas indecisas e reduzirão muito o seu prazer de viver.


Nem todas as decisões requerem uma digressão profunda. Na verdade, a maioria das escolhas é simples e pontual, apenas para nos ajudar a evoluir de uma situação para outra.


Para ajudá-lo a determinar seu nível de indecisão, observe o comportamento de mais pessoas que não conseguem se decidir:

  • Pedir a opinião de pessoas queridas ou de conhecidos antes de tomar uma decisão;

  • Refletir longamente sobre os prós e contras de uma situação, mesmo que não apresentem grandes consequências;

  • Passar o dia remoendo a dúvida sobre ter tomado a decisão correta ou não;

  • Ficar ansioso a cada nova decisão ou enquanto espera as consequências das mesmas;

  • Não conseguir se decidir quando recebe muitas opções;

  • Ter medo de desagradar os outros com suas escolhas;

  • Sentir-se incomodado quando é obrigado a fazer uma escolha, permitindo que outra pessoa faça;

  • Falar “pra mim tanto faz” ou “pra mim pode ser” com muita frequência;

  • Imaginar o cenário que se desenrolaria se você tivesse tomado outra decisão;

  • Sentir-se desanimado e frustrado consigo mesmo após demorar para se decidir.

A psicologia por trás da indecisão


Já se perguntou por que você é tão indeciso? A dificuldade de tomar uma decisão não é apenas não saber o que fazer na hora de escolher. Pessoas indecisas geralmente não conseguem porque não acreditam em si mesmas.


Você já perguntou a seus parentes ou amigos o que eles acham de uma decisão específica que deseja tomar? Claro, obter uma segunda opinião pode ajudá-lo em algumas situações, mas não em todas elas.


Deixar que os outros decidam tudo por você enfraquece sua capacidade de fazer escolhas por conta própria e aumentará suas chances de encontrar infortúnios no futuro.


Embora nossos amigos e familiares queiram o melhor para nós, eles não sabem exatamente o que queremos. Eles podem aconselhá-lo a seguir um caminho que eles acham que é bom para você. A intenção não é ruim, mas causará problemas, frustração e dor porque não atende aos seus desejos.


6 dicas para ser menos indeciso


As seis técnicas abaixo vão ajudá-lo a elevar a sua autoconfiança. Não se preocupe se elas não funcionarem logo de primeira. Para quebrar um padrão comportamental, é necessário ser paciente e fazer repetições até o cérebro aprender o novo comportamento.


Se você não confrontar a sua dificuldade para tomar decisões em algum momento, ela irá limitar as suas oportunidades e vivências. Portanto, seja forte para não cair na tentação de transferir a responsabilidade de suas decisões para outras pessoas.


1. Aprenda a delegar importância


É preciso haver um equilíbrio entre pensar o suficiente e pensar demais. Decisões complexas que mudarão sua vida, como mudar-se para outra cidade, país, instituição de ensino ou trabalho, obviamente requerem mais reflexão.


A pequena decisão, não. Aprenda a investir o tempo necessário para cada decisão com base na urgência e seu impacto em sua vida.


2. Confie em seus instintos


As pessoas estão acostumadas a ignorar sua intuição. Se você tomar uma decisão naturalmente, é mais provável que seja uma escolha que atenda às suas necessidades. Confie em seus instintos e não tente mudar o sentimento de medo. Se você enfrentar consequências desagradáveis, elas servirão de experiência para futuras decisões.


3. Pergunte-se quem você está tentando agradar


Se você está acostumado a agradar aos outros acima de tudo, sua decisão pode seguir um certo padrão. Se você tomar uma decisão X ou Y, pode considerar como as outras pessoas se sentem. Você tem que entender que assim como você, outras pessoas também precisam aprender a controlar comportamentos e emoções.


Se eles não gostarem de sua escolha, eles têm a responsabilidade de aprender a lidar com esse sentimento. Uma vida que deseja agradar aos outros impedirá o seu crescimento pessoal e de outras pessoas.


4. Visualize cenários positivos


Imaginar o que cada opção pode trazer para sua vida ajuda a combater o medo e os pensamentos negativos. Em vez de passar horas imaginando gatilhos assustadores para cada escolha, imagine cenas felizes e satisfatórias!


Afinal, de que adianta sofrer precocemente com pensamentos pessimistas? Este exercício o ajudará a se acalmar e a permanecer otimista.


5. Cuide de suas emoções


A ansiedade crônica impede que muitas pessoas indecisas aprovem suas próprias escolhas. Pensamentos ansiosos os forçam a duvidar de si mesmos e causam insegurança. Logo, o pânico, a preocupação e a incompetência apareceram.


A psicoterapia pode ajudar a resolver indecisões aparentemente incuráveis ​​e cuidar do estado emocional do paciente. Obter tratamento pode ajudá-lo a compreender as causas básicas da ansiedade e a combatê-la de maneira saudável.


6. Faça a melhor escolha para você


Pessoas decididas tomam decisões conforme o seu bem-estar físico e psicológico, considerando as alternativas com os melhores benefícios.


Essas decisões podem envolver trocar a diversão pela disciplina ou o lanche pela salada. Escolhas como essas não costumam trazer satisfação logo de início, mas ocasionalmente são necessárias. Optar pelo melhor para você também implica em tomar decisões pouco agradáveis.


Por exemplo, uma pessoa que vive para agradar os outros normalmente possui dificuldade para sair de um emprego estressante, apesar deste lhe fazer mal. Pedir demissão será desafiador para ela, mas essa decisão trará muitas recompensas para a sua saúde mental.


Então, comece a se perguntar “como isso pode me beneficiar?” antes de fazer as suas escolhas. Com a prática e a reflexão recorrentes, você conseguirá ser menos indeciso!


Se você quiser saber mais sobre o assunto, confira nosso conteúdo no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=oAG8S017zNc


10 visualizações0 comentário