top of page
  • LM

Psicologia ambiental: saiba tudo sobre o assunto



Entre os vários métodos, a psicologia ambiental é uma das linhas teóricas mais recentes. Ela gira em torno da relação entre o meio ambiente e as pessoas, que se influenciam mutuamente.


Para entender melhor, basta pensar em como os lugares por onde você passou na sua vida despertam sentimentos bons e ruins de acordo com suas características, regras e elementos.


A psicologia ambiental estuda essa relação que o ser humano estabelece com seu ambiente e como isso afeta a vida e a saúde mental. Quer saber mais? Então continue lendo este artigo!


Como surgiu a psicologia ambiental?


O surgimento da psicologia ambiental é muito curioso. Kurt Lewin foi um dos pioneiros nos estudos deste ramo científico.


Tudo começou após o fim da Segunda Guerra Mundial, quando houve uma grande necessidade de reconstruir as cidades europeias que haviam sofrido durante esse tempo. Diante de tal cenário, arquitetos e pesquisadores psicológicos começaram a trabalhar juntos para construir habitações públicas a partir da combinação de conteúdo estético e psicológico para proteger a saúde física e mental das pessoas.


Curiosamente, os arquitetos possuem uma visão determinista da relação entre o homem e o meio ambiente, ou seja, na visão deles, o meio ambiente determina o comportamento humano. Os psicólogos, por outro lado, tentam entender o que leva os indivíduos a se comportarem de determinadas maneiras em determinadas circunstâncias. Assim, a partir de muitos estudos, a fundamentação teórica da psicologia ambiental está sendo estabelecida.


Quais são as principais características da psicologia ambiental?


A psicologia ambiental defende que os ambientes nos quais o ser humano se insere são capazes de atuar sobre o seu comportamento.


Há cinco princípios que devem ser investigados por pesquisadores interessados este campo:

  • O ambiente em questão pode ser alterado;

  • Isso deve estar inserido em cada contexto do nosso cotidiano;

  • Esse meio em questão e as pessoas são vistos como apenas uma entidade;

  • Tanto o meio quanto a pessoa se influenciam mutuamente;

  • A pesquisa investigativa precisa colaborar com outras ciências e incluí-las.

Saiba um pouco mais sobre as principais características da psicologia ambiental:


Multidisciplinariedade


Uma das suas principais características é o seu carácter multidisciplinar, estando ligada ao longo da sua construção a outras áreas, nomeadamente a geografia, a arquitetura, a antropologia e a sociologia.


A princípio, a psicologia ambiental passou por uma fase mais determinista, pois na época de sua criação as pessoas pensavam sobre o meio ambiente de forma muito rígida, com pouca possibilidade de mudança do ser humano.


A partir do momento em que é reconhecida como ciência, compreende-se como o homem reage ao seu meio e como pode modificá-lo.


Inter-relação


O estudo da psicologia ambiental também é interpretado como a inter-relação entre o ambiente físico (que pode ser natural e/ou feito pelo homem) e o comportamento humano. Isso significa que o ambiente afeta o comportamento, o que, por sua vez, faz com que o ambiente mude.


Unicidade


Outro foco da psicologia ambiental é a questão da singularidade. A psicologia tradicional estuda a sensação e a percepção separadamente dos estímulos ambientais, o que significa que podem ser estudados independentemente. A psicologia ambiental, por outro lado, afirma que o estudo da percepção não pode ocorrer fora do ambiente natural.


Quais são os níveis da abordagem da psicologia ambiental?


Um nível metodológico de psicologia ambiental surge para que o trabalho dos profissionais da área seja melhor definido e mais facilmente compreendido. Essas categorias levam em consideração a pessoa individual, a arquitetura e a atmosfera do local e a estrutura rural e urbana.


Entenda sobre cada um deles


Nível pessoal


No nível individual, a psicologia ambiental estuda fatores relacionados ao comportamento no espaço pessoal, considerando a privacidade, superlotação e territorialidade.


O espaço pessoal, por sua vez, nada mais é do que um espaço imaginário ao redor de cada pessoa, essencial para manter a privacidade e o distanciamento.


Territorialidade é a necessidade de possuir e manter um determinado espaço, como sua casa, ou mesmo um lugar ao redor da mesa de jantar. Quando o acesso não autorizado ao campo é sentido, a privacidade é violada.


Nível arquitetônico


O nível arquitetônico inclui o estudo de estruturas construídas, desde residências a edifícios, escolas, prisões, hospitais, museus e muito mais. Portanto, além dos princípios no nível individual, também são observados efeitos relacionados ao ruído, circulação de ar e temperatura de acordo com a estrutura ambiental interna das construções.


Além das questões estruturais, compreender a necessidade individual de um ambiente prazeroso com base nos princípios fundamentais da psicologia também é importante para a promoção da saúde mental.


Nível urbano, rural e regional


Finalmente, no último nível, a psicologia ambiental se concentra em programas e políticas urbanas, regionais e rurais, e está vinculada aos dois primeiros níveis. Esses estudos se concentram no layout urbano, configurações regionais, transporte e outros fatores que afetam a vida das pessoas.


É importante ressaltar que tais análises levam em consideração a necessidade de proteger o meio ambiente para manter a saúde mental. É apenas um método de psicologia. Se você não se identifica com suas próprias características, converse com psicólogos de outras áreas teóricas. Independentemente da abordagem, o mais importante é fazer o tratamento e estar em dia com os cuidados com a sua saúde mental.


0 visualização0 comentário
Post: Blog2_Post
bottom of page