Responsabilidade emocional: o que é e qual a sua importância



Você já se sentiu responsável pelo o que o outro sente? Esse é um ponto bem emblemático e extremamente complexo. Afinal, não temos 100% de controle sobre as emoções que despertamos no outro, no entanto, está sob nosso alcance tratá-lo com respeito e empatia.


Dessa forma, nossas ações, escolhas e palavras devem ser muito bem pensadas para não ferir aqueles que estão ao nosso redor. Precisamos assumir essa responsabilidade quando percebemos que existe uma relação direta entre o nosso comportamento e o sentimento despertado no outro.


Uma vez que criamos expectativas nas pessoas, devemos ser responsáveis com elas, respeitando seus sentimentos e emoções. Esse fator, também conhecido como responsabilidade emocional, é a base para a construção de vínculos emocionais e afetivos.


Que tal pensar um pouco mais no outro e enxergar as nossas atitudes como meios que podem, sim, afetá-los? Neste conteúdo, falaremos sobre a importância da responsabilidade emocional para a construção de relacionamentos. Acompanhe!


O que é responsabilidade emocional?


Resumidamente, é possível definir responsabilidade emocional como a consciência que deve orientar as nossas ações em relação aos sentimentos do outro, de modo que possamos nos comunicar com clareza e franqueza as nossas reais intenções com o outro.


Quando um indivíduo não consegue desenvolver a responsabilidade emocional, a sua comunicação para com o outro não é clara. Isso pode levar as outras pessoas a criarem expectativas com as quais esse indivíduo não saberá lidar, gerando frustrações e conflitos.


Por outro lado, pessoas emocionalmente responsáveis são claras e francas em suas relações. Falam abertamente sobre como se sentem diante de uma situação, o que querem e até que ponto as expectativas do outro podem ser atendidas.


É importante lembrar que ninguém pode ser 100% responsabilizado pelos sentimentos e emoções do outro. No entanto, é preciso, sim, nos responsabilizarmos por atitudes que despertam sentimentos negativos - ou não - nas pessoas.


Qual a importância da responsabilidade emocional?


Como mencionamos acima, a responsabilidade emocional é o ponto-chave para nos comunicarmos de maneira clara com o outro e mostrar as nossas verdadeiras intenções, de modo a não decepcioná-lo.


Por exemplo: se você, de alguma forma, dá a entender a um amigo que esta amizade pode virar algo a mais, responsabilize-se pelos sentimentos dele, afinal de contas, você permitiu que essas emoções e o despertar de novos sentimentos acontecessem.


Em contrapartida, se você deixa claro que tal amizade não pode virar amor, pois você não é e não está apaixonado por aquela pessoa, você está sendo emocionalmente responsável. Isso porque falou sobre seus limites e expectativas.


Dessa forma, cabe a outra pessoa, portanto, compreender que tais barreiras não podem ser ultrapassadas e aprender lidar com seus sentimentos.


Seja numa, num relacionamento amoroso ou em uma relação familiar, ninguém é 100% responsável por todos os sentimentos despertados no outro. As partes envolvidas devem conversar com clareza e estabelecer determinados limites. Lembre-se disso!


Como funciona a responsabilidade emocional na prática?


Mas como saber que as partes envolvidas estão sendo, na prática, emocionalmente responsáveis? Confira, a seguir, algumas dicas para auxiliar a nutrir relacionamentos saudáveis e manter as relações em sintonia.


1. Alinhamento de expectativas


O fato é que sentimentos podem ser confusos e levarem as pessoas a dizerem, fazerem e pensarem coisas que nem sempre são reais. Mesmo que haja o calor da paixão, é preciso tirar um tempo para refletir e pensar racionalmente: o que eu espero dessa relação?


Quando você obter a resposta, também é importante questionar o mesmo a pessoa envolvida: o que você espera dessa relação? O alinhamento de expectativas fará com que o namoro, casamento ou qualquer outro tipo de relacionamento não termine por conta de frustrações.


2. Transparência sobre os sentimentos


E se a pessoa com a qual você se relaciona disser afirmar que não quer seguir um compromisso sério? Será que você deve dizer como se sente diante dessa situação? Sim, o ideal é sempre ser transparente acerca de seus sentimentos.


Uma vez que percebe-se que as expectativas são diferentes, é necessário refletir: será que vale a pena manter essa pessoa em sua vida ou é melhor seguir em frente? Avalie esses pontos e pense nos benefícios e malefícios dessa relação.


3. Comprometimento e empatia


A partir do momento em que as expectativas estão alinhadas e as partes envolvidas falam sobre o que esperam do outro, deve haver comprometimento com o que foi acordado. Afinal, nada pior do que quebrar a confiança que existe no relacionamento, certo?


Psicologicamente, a quebra de confiança pode gerar um abalo muito grande na vida de outra pessoa, influenciando, inclusive, na construção de outros laços emocionais. Do mesmo modo, ninguém é totalmente irresponsável pela infelicidade do outro.


É exatamente neste momento que entra a empatia. Coloque-se no lugar do outro e dê a ele o tratamento que gostaria de receber. Seja transparente e claro com as palavras. Não crie expectativas que você jamais conseguirá cumprir.


Como saber que uma pessoa não é emocionalmente responsável?


De maneira geral, é possível notar que uma pessoa não é emocionalmente responsável a partir das seguintes ações:

  • O parceiro age por impulso e toma atitudes precipitadas;

  • Logo após conhecer a pessoa, ela já lhe promete ‘’mundos e fundos’’ - e, provavelmente, não irá cumprir o combinado;

  • Não te coloca como prioridade;

  • Lhe traz mais decepções do que alegrias;

  • Você começa a se afastar e a pessoa começa a te envolver em um jogo emocional com o objetivo de te manipular e controlar a situação;

  • As relações anteriores são conturbadas e términos são frequentes na vida amorosa;

  • A pessoa toma atitudes que não pode sustentar por muito tempo.

Independente do tipo de relacionamento, é de suma importância conversar com transparência, deixando claro seus limites e as suas intenções. O consenso vem desse trabalho conjunto e é fundamental para evitar conflitos e frustrações.


E você, como tem lidado com a responsabilidade emocional necessária em suas relações? Você realmente tem respeito pelas emoções das pessoas que ama? Compartilhe este artigo com os colegas e leve essa reflexão a eles!






23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo