Síndrome de Tourette: o que é, causas e diagnóstico



A síndrome de Tourette é um distúrbio incompreendido. Nos filmes e séries americanas é retratado como algo cômico, mas não há nada de engraçado nessa doença. Ela prejudica o dia a dia de quem a tem, e prejudica a sua confiança e autoestima.


O que é Síndrome de Tourette?


A síndrome de Tourette é um distúrbio caracterizado por tiques motores ou vocais distintos. Eles mudam a cada semana, ou ao longo de um período de meses. Portanto, é quase impossível prever quais ticks virão a seguir.


Pessoas com Síndrome de Tourette relatam que é quase impossível resistir à vontade de falar ou expressar esses tiques, mesmo quando são inadequados. A pressão do silêncio ou da imobilidade tende a piorar o quadro e apresentar tiques mais intensos. Por causa disso, as pessoas com Tourette têm dificuldade em controlar seus impulsos.


De acordo com o MDS V, a doença geralmente aparece na infância, entre os 4 e 6 anos de idade. Ela alcança o seu pico de gravidade por volta dos 10 a 12 anos e diminui na adolescência. Os tiques apenas persistem até a idade adulta em 1% das pessoas.


Quais as causas da Síndrome de Tourette?


A Síndrome de Tourette pode estar associada aos seguintes transtornos psiquiátricos: transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), transtornos de ansiedade e dificuldades de aprendizagem.


Assim, entende-se que as pessoas com Síndrome de Tourette a apresentam como um "sintoma" de outro transtorno. No entanto, não há consenso sobre a etiologia específica dessa síndrome. Como também pode ter origem genética ou ser resultado de um desequilíbrio nos impulsos que transmitem informações entre os neurônios, tem sido difícil identificar uma causa única por trás da síndrome de Tourette.


Pessoas com outras patologias, como doença de Huntington ou encefalite, também podem desenvolver tiques. Em ambos os casos, contudo, eles não são considerados Tourette.


Quais os sintomas da Síndrome de Tourette?


A ansiedade é um dos principais sintomas da síndrome, seguida de convulsões. Eles se dividem em duas categorias: simples (movimentos curtos e vocalizações) e complexos. Estes duram mais e podem evoluir para combinações de contrações simples.


Eles também podem ter significado social, uma característica que muitas vezes cria problemas para os indivíduos e suas famílias. Não raro pessoas com Tourette sentem necessidade de usar termos preconceituosos ou fazer gestos obscenos em público.


Como a pessoa que testemunha esses tiques não sabe, ela pode ficar ofendida e satisfeita. Essa situação aumenta o estresse dos pacientes com Tourette.


Abaixo, veja uma lista de tiques.

  • piscar os olhos;

  • fazer caretas;

  • balançar os ombros;

  • fungar;

  • tossir;

  • fazer sons guturais ou gestos obscenos;

  • movimentar a cabeça repentinamente;

  • repetir palavras ou sílabas de forma involuntária.

Se seu filho tiver algum desses tiques, consulte um médico o mais rápido possível. Repreender uma criança com síndrome de Tourette não a ajudará a controlar seus impulsos. Na verdade, os tiques podem se tornar mais frequentes e indesejados.


Como é a mente da pessoa com a Síndrome de Tourotte?


Um desejo avassalador é sentido antes dos tiques, semelhante à compulsão experimentada por pessoas com TOC. Então o indivíduo fica tenso e ansioso. Muitas pessoas descrevem a compulsão como um desejo irresistível de espirrar, tossir ou coçar uma parte do corpo. Eles sentem uma breve sensação de alívio quando sucumbem à necessidade de se contorcer.


Em épocas de estresse emocional, os tiques se manifestam mais frequentemente. A pessoa com Tourette raramente consegue controlá-los.


Quando alguém chama sua atenção, essa pessoa se preocupa em ser o centro das atenções, e essa tensão pode piorar os sintomas da doença. Portanto, é recomendado não reagir aos tiques, tratando-os como se não estivessem acontecendo.


Os tiques podem ser semelhantes ou completamente diferentes. A intensidade e a frequência de cada sessão varia ao longo do tempo. Às vezes eles começam de repente, surpreendendo aqueles ao seu redor. Embora compreensível, essa resposta pode deixar as pessoas com tiques desconfortáveis ​​e incentivar mais tiques.


Além disso, os tiques podem ocorrer diversas vezes em um único dia (nos quadros mais graves, em uma única hora) e desaparecer por completo por meses a fio.


Viver com Tourette é muitas vezes muito desagradável, especialmente durante a adolescência, quando as pessoas se tornam mais sensíveis às opiniões dos outros. O transtorno pode prejudicar o desempenho escolar e dificultar a formação de novas amizades.


Os comentários maldosos e o tratamento diferenciado vindo de terceiros afetam a autoestima do indivíduo, incentivando-o a se isolar.


Como é realizado o diagnóstico?


O diagnóstico é feito pela avaliação de um médico. Quando é realizado o mais cedo possível, a criança pode se safar mais rápido e aproveitar melhor a sua infância.


Os pais também entendem que seus filhos não estão sendo mal criados, estão convivendo com uma doença grave. Esse conhecimento evita que sejam agravados por punições injustas ou brigas. Portanto, os pais devem procurar atendimento médico assim que notarem os primeiros tiques.


O diagnóstico médico é realizado com base nos sintomas apresentados pelo indivíduo e sua duração. Para que a identificação da Síndrome seja feita com sucesso, e não confundida com demais distúrbios de tique, as sessões médicas precisam ser frequentes. Os tiques vocais e motores acontecem, geralmente, por seis meses.


Para contribuir com a identificação da Síndrome, os pais podem ficar de olho na manifestação dos tiques e anotar tanto a sua frequência quanto a sua variedade. Feito isso, precisam expor as informações ao médico escolhido.


18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo