Saúde mental dos profissionais da saúde: como cuidar?


Embora seja um assunto muito pouco debatido, a saúde mental dos profissionais da saúde deve - e pode! - se tornar uma temática recorrente entre os colegas de profissão, supervisores e até mesmo em consultórios de psicologia.


No entanto, enquanto muitos profissionais da saúde falam abertamente sobre seus anseios, angústias e emoções, outros ainda se negam a procurar ajuda devido ao risco de demissão ou à paralisação das atividades realizadas. Mas, convenhamos, já passou da hora de desmistificar essa ideia.


Afinal, é fato que os profissionais da saúde precisam compreender suas emoções para cuidar dos pacientes da melhor maneira possível, garantindo a produtividade, a excelência no desempenho das funções e para contribuir com o bem-estar da população em geral.


Pensando nisso, preparamos um post exclusivo para você, profissional da área da saúde, compreender os cuidados que devem ser tomados para manter a sua saúde mental em ordem e intacta. Boa leitura!


Quais são os principais distúrbios entre os profissionais da saúde?


De acordo com estudos, 12% dos problemas de saúde incapacitantes atualmente são diagnosticados como transtornos mentais. Outras pesquisas também apontam algumas queixas comuns no cotidiano. São elas:

  • Mal estar gástrico;

  • Sensação de inutilidade;

  • Insônia;

  • Entre outros.

Além disso, é importante mencionar que os sintomas podem evoluir para condições mais graves e extremamente nocivas, afetando não só a saúde física dos profissionais, mas também a integridade mental.


Em geral, esses sintomas são comuns em diversos segmentos e fatias do mercado, bem como hospitais, serviços de atenção básica, atividades de alta complexidade e tarefas que demandam muita atenção.


As causas ainda abordam aspectos mais variados, tais como a sobrecarga de trabalho, como jornadas superiores a 24 horas diárias. Confira, a seguir, alguns dos distúrbios comuns entre os profissionais da saúde:


1. Depressão


Que a depressão é a doença do século não é uma novidade, certo? E isso não poderia ser diferente entre os profissionais da saúde. Dentre seus principais sintomas, é possível mencionar: tristeza profunda, dificuldade para se motivar e alterações de apetite.


O indivíduo diagnosticado com depressão pode se isolar socialmente, tornando-se mais agressivo, impaciente e sem a capacidade de controlar suas emoções diante dos desafios presentes em seu cotidiano.


2. Síndrome do esgotamento


Você já ouviu falar sobre a crise do esgotamento? Trata-se de um transtorno no qual o profissional não consegue lidar com todas as demandas do dia a dia e, a partir disso, passa a apresentar problemas de memória, torna-se agressivo e extremamente intolerante.


Além disso, é comum observar que as pessoas diagnosticadas com a síndrome do esgotamento não conseguem relaxar durante os períodos de lazer, gerando assim, na maioria dos casos, tensão emocional e estresse crônico.


Quais são os cuidados necessários para profissionais da saúde?


Antes de mais nada, é importante mencionar que a saúde mental dos profissionais da saúde dependerá do equilíbrio entre as atividades essenciais e os momentos de lazer e diversão com a família.


Mas apenas esses cuidados não são necessários. Continue a leitura e acompanhe algumas estratégias para cuidar da sua saúde mental!


1. Faça atividades físicas


Sabe-se que praticar atividades físicas pode diminuir a incidência de transtornos mentais devido à liberação de neurotransmissores que proporcionam a sensação de bem-estar, equilíbrio e calma.


Para isso, as atividades físicas devem ser realizadas de acordo com o perfil do profissional, em horários compatíveis com suas demandas de trabalho e que sejam funcionais e motivadoras para o indivíduo.


2. Separe um tempo para si


Um dos principais fatores que interferem na saúde mental dos profissionais da saúde é a incapacidade do desligamento de situações recentes. Sendo assim, tome um banho relaxante quando chegar em casa, ouça uma música ambiente e coma com sua família.


Além do mais, aproveite o momento para realizar atividades de lazer, bem como ler um livro, estudar um novo idioma, passear com o PET, conhecer um restaurante novo, entre outras opções.

Outro ponto importante é desligar o celular depois do expediente. Caso isso não seja possível, selecione as mensagens provenientes do grupo do trabalho. Filtre o que realmente é uma necessidade e reserve esse tempo para você.


3. Mantenha hábitos saudáveis


Manter a saúde mental de um profissional da saúde também exige seguir hábitos saudáveis. Afinal, em muitas situações, é comum descontar as situações do dia a dia na alimentação ou mesmo na falta de exercícios físicos.


Dessa forma, uma alimentação saudável e balanceada pode fazer toda a diferença na rotina desse profissional, principalmente no que diz respeito à motivação e a prática de atividades físicas.


Lembre-se também de manter uma boa regularidade no sono, uma vez que ele contribui com as questões voltadas a sua saúde mental e física.


4. Busque apoio psicológico


Por último, e não menos importante, buscar apoio psicológico também é um cuidado essencial para a saúde do nosso corpo, independente da profissão.


Contudo, falando sobre os profissionais da saúde, a grande maioria dos indivíduos sentem receio de perderem seus empregos ou serem taxadas como fracas ao exercerem plenamente suas funções.


Mas, como mencionamos anteriormente, é necessário desmistificar essa ideia e mostrar que todos precisam de apoio psicológico, principalmente quando se cuida de outras pessoas.


Portanto, busque ajuda profissional para debater os eventos presentes no seu cotidiano, para aprender a lidar com suas emoções e combater transtornos psíquicos que podem afetar não só a sua rotina de trabalho, mas também a sua estabilidade mental.


E você, conhece algum profissional da saúde que ainda negligencia a importância do atendimento psicológico? Então, compartilhe este post com ele para eliminar, de uma vez por todas, essa ideia!

1 visualização0 comentário