Você sabia que vinho pode fazer bem para a sua mente?


Podemos afirmar que o cérebro é a fonte de vida do corpo humano. É ele quem dita as regras do jogo, e seu mau funcionamento pode ser fatal para o organismo. Querer viver mais faz parte da natureza do homem, e para isso, uma dieta balanceada e saudável é essencial.


O vinho, que é uma bebida milenar e cercada de paradoxos, começa a se revelar um aliado da saúde mental.


Segundo uma pesquisa recente, realizada na Faculdade de Medicina de Yale (EUA), parece haver sentido quando se diz que degustar vinhos é um ótimo exercício para o intelecto humano.


Essa afirmação é resultado das análises feitas pelo neurocientista Gordon Shepherd, que identificou as reações ocorridas nas partes sensoriais e emocionais de nosso cérebro durante a degustação de vinhos.


Em seu livro “Neuroenology: How the Brain Creates the Taste of Wine”, Shepherd usou a expressão “neurogastronomia” para descrever como nossa mente constrói as distintas sensações de sabor.


Ele defende que aquilo que conhecemos como “gosto”, não passa de uma ilusão produzida pelos nossos sentidos e emoções que traduzem nossa percepção daquilo que bebemos e comemos.


Levando isso em consideração, preparamos este conteúdo para te falar mais sobre os benefícios do vinho para a nossa mente. Vamos lá?


O vinho faz muito bem ao coração


Bebedores moderados que sofrem de pressão alta têm 30% menos probabilidade de ter um ataque cardíaco do que os abstêmios.


O resultado veio de um estudo de 16 anos da Harvard School of Public Saúde com 11.711 homens e publicado na revista Annals of Internal Medicine, 2007.


Pesquisadores de Harvard incluíram o consumo moderado de álcool como uma das “oito maneiras comprovadas para reduzir o risco de doença cardíaca coronária''.


Os investigadores acreditam que os antioxidantes na pele e sementes das uvas vermelhas, chamados flavonóides, reduzem o risco de doenças coronárias, diminuindo o LDL (mau colesterol), aumento dos níveis de HDL (bom colesterol) e redução da coagulação do sangue.


Vinho pode reduzir os sintomas da depressão


É isso mesmo o que você leu: o vinho, quando tomado de maneira saudável, pode até mesmo reduzir os sintomas da depressão.


Em um dos estudos mais recentes dedicados a investigar os benefícios do vinho tinto para a saúde, pesquisadores espanhóis relataram uma taxa de 32% menos casos de depressão entre os consumidores de vinho.


O estudo foi publicado no site BMC Medicine, um jornal eletrônico de medicina. Nele, foram analisados mais de cinco mil homens e mulheres com idade entre 55 e 80 anos durante sete anos, que consumiam vinho tinto na faixa de duas a sete doses por semana.


Ao final da pesquisa, essas pessoas apresentaram taxas significativamente mais baixas de depressão em comparação a pessoas que não ingerem nenhum tipo de bebida alcoólica.


Os pesquisadores comentaram que não se surpreenderam com os resultados porque já sabiam que a depressão compartilha algumas das mesmas causas de doenças que respondem favoravelmente ao consumo de vinho tinto, tais como inflamações de baixo grau, doenças cardíacas e outras doenças crônicas.


O vinho pode ajudar contra o câncer


Diversos estudos de todas as partes do mundo encontraram correlações entre o consumo moderado de vinho e a prevenção do câncer de pulmão, de bexiga, de próstata, de ovários, de garganta entre outros.


“As células tumorais se formam devido a uma desorganização interna que descontrola a sua multiplicação genética”, explica Caroline Dani, biomédica do Rio Grande do Sul. “Ao que tudo indica, os compostos fenólicos conseguem restabelecer a ação dos genes supressores de tumores, controlando a proliferação dessas células.”


Para a nutricionista Haline Dalsgaard, porém, ainda que esses estudos (feitos em ratos) sugerem que o resveratrol tenha propriedades anticancerígenas, testes com humanos permanecem inconclusivos.


O vinho melhora o seu humor e o sono


Além de relaxante e aliviar o estresse, o vinho melhora o seu humor. Um estudo apontou que o consumo de vinho na faixa de 2 a 7 copos por semana foi significativamente associado com menores taxas de depressão, enquanto os bebedores pesados parecem estar em maior risco.

Outro estudo realizado pela Health Study Nord-Trøndelag (Estudo HUNT), com base na Noruega, descobriu que os bebedores moderados têm menos risco de sofrer depressão do que aqueles que não têm álcool.


Curiosamente, os cientistas na Itália descobriram que certas variedades de uvas usadas para fazer vinhos tintos contêm altos níveis do hormônio melatonina sono ou algo com efeitos semelhantes. Isto poderia explicar porque o consumo moderado de vinho induz o sono.


Conclusão


O vinho possui efeitos antioxidantes, anti-inflamatórios e reguladores de lipídios, que são os principais efeitos que conferem a essa bebida os seus famosos benefícios.


Além do mais, por ser produzido a partir de uvas escuras trituradas, o vinho é uma fonte relativamente rica de resveratrol, um antioxidante natural presente nas cascas das uvas.


Esses antioxidantes reduzem o estresse oxidativo no corpo, que é um fenômeno ligado a muitas doenças, incluindo câncer e doenças cardíacas.


O hábito de beber vinho, portanto, possui benefícios teóricos indiscutíveis devido a seus potenciais protetores do estresse oxidativo.


Para os bons apreciadores da bebida, uma celebração em família, aquele jantar especial a dois, assistir um filme ou, até mesmo, aventurar-se em jogos de cassino online, são situações que podem ser muito bem acompanhadas com uma boa taça da bebida.


Além disso, é correto afirmar que hoje existem diferentes pesquisas publicadas em vários lugares do mundo mostrando os benefícios do vinho.


E aí, você sabia dos benefícios do vinho para sua saúde? Compartilha esse conteúdo com aquele amigo que gosta de uma boa taça de vinho e mostre os benefícios disso para ele.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo